As Redes Sociais na Educação de Adultos

Há muitos educadores e/ou formadores que veem as redes sociais, na melhor das hipóteses, como meios de entretenimento ou, na pior, como uma fonte de distração para os aprendentes.

Mas as redes sociais podem ser usadas como uma ferramenta para a comunicação entre pares, não só pelos aprendentes, mas também por professores e formadores. Também podem melhorar a comunicação entre professor/formador e aprendente ou ajudar a tornar as abordagens de ensino mais interativas. O seu principal papel é facilitar o acesso à informação, o que a torna uma ferramenta muito útil também para a aprendizagem não formal e informal.

As redes sociais na educação de adultos é o foco temático da EPALE no mês de fevereiro.

No site da EPALE pode encontrar vários textos sobre este assunto.

Nós disponibilizamos em português dois desses documentos.

Redes Sociais para adultos pouco qualificados: novas oportunidades

Entrevista a Maurice De Greef, diretor da ETV holandesa e publicada na revista ELM em setembro de 2015.

De acordo com especialistas do Dutch Foundation Expertise Center, aprender com o uso das redes sociais cria novas oportunidades para adultos pouco qualificados. Esta organização oferece conteúdos e materiais de aprendizagem on-line através do portal Oefenen.nl.

Os adultos pouco qualificados são frequentemente vistos como aderentes tardios de muitas inovações e tendências. No entanto, isso parece não ser o caso das redes sociais. Nos últimos dez anos, os adultos pouco qualificados na Holanda usam cada vez mais as TIC em casa, mas também em contextos de aprendizagem. Por outras palavras, é, em certa medida, um meio democrático, que atravessa transversalmente diferentes estratos sociais.

Ben Vaske (imagem acima), diretor do ETV.nl, acredita que uma utilização inteligente das redes sociais pode ser uma estratégia de divulgação para alargar a aprendizagem a aprendentes adultos pouco qualificados.

– As redes sociais estão intimamente ligadas à vida de alunos pouco qualificados, mas ainda não estão ligadas a um uso comum na educação. Vaske acredita que aprender através das redes sociais tem todo o potencial para funcionar como uma espécie de ponte para ampliar as competências básicas.

Uma maneira menos formal de aprender

As redes sociais assíncronas podem ser usadas para ajudar diretamente os aprendentes no seu processo de aprendizagem, argumenta Vaske. Por exemplo, ao usar o WhattsApp ou o Facebook, é possível obter uma resposta sobre uma questão específica de aprendizagem o mais rápido possível. Outra utilização possível é ensinar através de filmes curtos sem usar linguagem complicada. Os materiais não devem ser demasiado abrangentes, mas breves e fáceis de compreender. Isso oferece novas oportunidades para tornar a aprendizagem atraente e de acesso mais fácil.

No entanto, a tecnologia por si própria não é importante, mas uma utilização inteligente dela, com base nas necessidades das pessoas.

– Com base nas necessidades do aprendente, um formador pode desenvolver um percurso de aprendizagem no qual as redes sociais podem ser usadas para atrair os aprendentes para desenvolverem o seu próprio processo de aprendizagem, diz Vaske.

Passo a passo visando a aprendizagem independente

O formador deve criar esse caminho de aprendizagem desenvolvendo uma abordagem "passo a passo" para determinar quais os objetivos de aprendizagem que o aprendente gostaria de explorar. Com isso, o próprio aprendente é que tem de tomar a iniciativa para aprender.

– O auto direcionamento é, na verdade, uma das necessidades do aluno!

Esta abordagem "passo a passo" só pode ser alcançada se o educador oferecer informações personalizadas sobre novos conhecimentos, informações e capacidades. O profissional deve oferecer a possibilidade de uso das redes sociais durante a aprendizagem num momento particular quando cria uma mais valia para os aprendentes.

– Por exemplo, a ETV.nl desenvolveu uma aplicação para um dos programas 'Taalklas.nl Plus' (melhoria da literacia), que pode ser utilizada para aprender novas palavras, ao jogar com elas. Realmente funciona!"

O "Social" nas redes sociais

Ben Vaske realça as possibilidades de aprendizagem cooperativa, inerentes às redes sociais.

– As "redes sociais" devem ser encaradas de forma social.

Um exemplo desta forma cooperativa de aprender é o uso do Skype durante um dos programas de aprendizagem do ETV.nl, o 'NLvaardig', um curso de línguas. Ao usar o Skype, os aprendentes puderam ser orientados durante o seu processo de aprendizagem e não tiveram nunca de lutar sozinhos.

Falta de estudos em redes sociais e educação de adultos

Uma publicação europeia recente também mostrou que não existem estudos recentes sobre o uso das redes sociais na aprendizagem de adultos. Vaske acredita que isso não deve impedir os educadores de experimentar.

– ‘Aprender fazendo’ é necessário para determinar como podem ser usadas as redes sociais durante a aprendizagem de adultos.

Não fale sobre barreiras, mas de oportunidades

De acordo com Ben Vaske, claro que também há barreiras à utilização de redes sociais com aprendentes pouco qualificados: disponibilidade de hardware, limitações de largura de banda, para citar apenas algumas.

– Ao mesmo tempo, as aplicações móveis são muito mais baratas e também fornecem acesso à Internet. Por que não as usar se a maioria dos alunos tiver um telemóvel?

Em: http://www.elmmagazine.eu/articles/social-media-for-low-skilled-adults-new-opportunities/

Reflexão sobre as redes sociais no contexto da educação de adultos em projetos internacionais

Artigo de Vilhelmina Vaičiūnienė e Viktorija Mažeikienė, publicado por Jurgita MELAIKIENE

As redes sociais (RS) são consideradas como um meio particularmente popular de garantir a atratividade da aprendizagem. A usabilidade e as possibilidades das RS na educação de adultos são vistas a partir da perspetiva das posições de professores e aprendentes. As RS são mundialmente inseparáveis dos aprendentes, sendo as ferramentas mais populares de comunicação e divulgação de informação. Oportunidades de transmissão de informações e de comunicação, e desenvolvimento profissional – estes são os principais fatores que determinam o sucesso do uso das RS na educação de adultos. Como a comunicação é uma parte integral da educação, os professores colocam a questão de como usar as RS de forma mais eficiente no processo de formação e aprendizagem. Investigadores mundiais e lituanos analisam a classificação RS, o impacto na educação de adultos, nas empresas e no setor público: Lev Manovich (2009), B. Peters (2009), AM Kaplan e M. Haenlein (2010), Fernandez-Villavicencio, N. (2010 ) ,. Pečiulis Z. (2011, 2014), Gudonienė V. (2011), Nevinckaitė L. (2011) e muitos outros autores.

Eles encontram resultados de que as RS são indubitavelmente populares e de que, hoje em dia, o seu uso é indispensável nos negócios ou em qualquer outro setor económico. As RS são ferramentas baseadas na web que permitem que os consumidores se tornem criadores ativos de conteúdos, permitem aos utilizadores interagir entre si, criar informação e fazer a troca de informações. Os aprendentes adultos precisam de encontrar significado e de compreender os benefícios das RS na comunicação, porque isso está diretamente ligado ao uso das RS em diferentes áreas da educação.

Os educadores de adultos que utilizam as RS como método de ensino inovador podem motivar os aprendentes a registarem-se em RS e a participarem em discussões onde partilhem os seus conhecimentos. Por exemplo, num perfil de Facebook, rico em notícias e discussões. Os perfis profissionais, em particular, incentivam a excelência nos campos profissionais de aprendentes/professores, encorajam a aprendizagem através da experiência e a aprendizagem baseada no trabalho.

O desejo dos adultos de aprender com a experiência promove e amplia a oportunidade de trabalhar e de estar ligado a um mundo de informações. Nesse tipo de formação/aprendizagem não existe hierarquia, e pode estar constantemente ligado à rede, além disso, é atraente aprender com jogos de computador, porque facilita a aquisição de conhecimento.

Em: https://ec.europa.eu/epale/en/resource-centre/content/reflection-social-media-adult-education-context-international-projects 

Estes são os artigos já disponibilizados no site (todos eles em inglês)

Redes sociais para adultos pouco qualificados: Novas oportunidades

Aprendizagem com dispositivos móveis e redes sociais em educação de adultos

Reflexões sobre redes sociais em contexto de educação de adultos, em projetos internacionais

Design, orientado pela pedagogia, de ambientes virtuais de aprendizagem

Orientação para o desenvolvimento profissional destinada a professores/formadores de ensino profissional, através de redes virtuais

Toolkit para redes sociais e interação: tecnologias de redes sociais para museus nacionais e regionais na Europa

Ver site da EPALE aqui:

Em: https://ec.europa.eu/epale/pt/blog/epale-focus-social-media-adult-learning

 

Tópicos: Tags: