Número 4 - Maio de 2005

Revista Aprender            Ver pdf (Revista completa)...

Neste quarto número da revista trimestral Aprender ao Longo da Vida, editado pela Associação «O Direito de Aprender», destacamos um dossier sobre a Saúde.
 
Dossier sobre a Saúde numa perspectiva da aprendizagem ao longo da vida:

• O médico ANTÓNIO CARDOSO FERREIRA (texto completo) fala-nos da sua larga experiência de promoção da saúde e mostra como a visão do “aprender” tem de ser muito mais larga do que a que advém da leitura de livros. Passa necessariamente por conscientizar, corporizar, saborear, sonhar, criar, aceitar limites e construir mudanças em interacção com os outros e com o ambiente que nos rodeia, avaliando e reformulando os passos que damos.

• Berta Nunes, médica e antropóloga, escreve sobre o papel que a medicina popular pode desempenhar no tratamento de uma doença. Diz-nos que nas sociedades ocidentais, a biomedicina, ou medicina científica, faz parte da cultura dominante e pretende impor a toda a sociedade o seu paradigma (modelo teórico) sobre a saúde, a doença e o corpo, enquanto que na tradição “popular”, em Portugal, o corpo, a saúde e a doença incluem-se num modelo mais abrangente que considera os aspectos psicológicos, sociais e culturais como causas das doenças e do sofrimento humano.

• O economista Rogério Roque Amaro, analisa as novas formulações de Saúde e Desenvolvimento, que se têm proposto nos últimos 30 anos. A Saúde não é apenas a “ausência de doença”, no sentido em que uma população saudável (entenda-se “sem doenças”) é mais produtiva e pode ser melhor rentabilizada, mas como um processo integrado, que tem em conta várias dimensões (físicas e psíquicas) e outras vertentes e sistemas de bem-estar, ligando-a às componentes económicas, sociais, ambientais, políticas e culturais em que este se exprime.

Duas reportagens:

Visitámos dois Centros de Saúde da margem sul de Lisboa – Moita e Palmela - e apercebemo-nos do trabalho que estes centros fazem na área da saúde pública.

Na Moita, uma Unidade Móvel desloca-se a pequenas povoações e faz o atendimento semanal à população, predominantemente idosa.

Igualmente com idosos, o projecto “Convivências/Envelhecer com Projecto” reúne três vezes por semana para conversar, passear, serem massajados, programar actividades.

Em Palmela já se formaram 160 funcionárias de cantinas de escolas, jardins-de-infância e IPSS’s.

Em Idanha-a-Nova, visitámos uma exploração agrícola e falámos com técnicos agrícolas que receberam formação. Por se encontrarem muito dispersos fisicamente, essa formação, em grande parte, foi online.

E ainda os seguintes artigos:

2005 é o Ano Europeu da Cidadania pela Educação, e MARIA EMÍLIA BREDERODE SANTOS (texto completo) escreve o primeiro dos artigos de diversos autores sobre este tema que a nossa revista irá abordar ao longo deste ano. Intitulado Formação para a cidadania numa perspectiva ao Longo da Vida, o artigo considera que a Educação para os Direitos Humanos assenta num princípio básico fundamental: a igual dignidade de todos os seres humanos. Ora a compreensão deste princípio e das suas implicações, tanto na vida quotidiana como no plano abstracto, não é uma aprendizagem evidente, nem espontânea, nem simples.

Entrevista com o Professor Budd Hall, director da Faculdade de Educação da Universidade de Victoria, no Canadá, e que tem um extenso currículo em educação de adultos. Tem estado ligado às dimensões de aprendizagem das mudanças sociais durante grande parte da sua vida, mas, como ele mesmo diz, tudo o que aprendeu foi fora das Universidades.

Este homem que viveu vários anos na Tanzânia fala-nos da sua experiência e da importância de pessoas na sua vida como Nyerere, Paulo Freire, Orlando Fals Borda e Marja Liisa Swantz, entre outros.

Nos anos 70, o Austríaco IVAN ILLICH (texto completo) era muito lido e discutido. As suas obras influenciavam todos os que queriam pensar a escola e problematizar a Educação. Hoje está quase completamente esquecido e, no entanto, as suas ideias são, em muitos aspectos, mais actuais do que nunca.
Para uma conversa sobre o legado e actualidade de Ivan Illich, reunimos os Professores Rui Canário, da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Lisboa, e Olga Pombo, da Faculdade de Ciências da mesma Universidade.

A situação da Educação de Adultos em Portugal é abordada em dois artigos. No primeiro, ALBERTO MELO (texto completo) afirma que a sociedade portuguesa necessita de um forte movimento social que, mobilizando múltiplos e diversos quadrantes, privados e públicos, locais ou regionais, permita pressionar no sentido de um contexto cultural, legal e organizacional mais propício à educação de todos e à cidadania activa e participativa.

No segundo, Paula Guimarães analisa o papel que a Unidade de Educação de Adultos (UEA) da Universidade do Minho tem procurado ter desde a sua criação em 1976 até hoje, através da reflexão e da Intervenção na área da Educação de Adultos em Portugal.

Reportagem sobre a rádio local de Pedrógão Grande – Rádio Triangulo: O boom das rádios locais registado em meados dos anos 80 foi explicado pela novidade do veículo, a linguagem popular que utilizava e a atenção dada a temas desprezados pelas rádios nacionais. Mas, como todas as rádios locais, esta também enfrenta problemas de sobrevivência apesar de cumprir o papel de garantir aos habitantes da vila que o seu dia-a-dia pode ser notícia.

E ainda:

Livros, Internet e Notícias

Ficheiros Anexos

Tópicos: Tags: