Integrar os Imigrantes – Um Desafio e uma Oportunidade

Às primeiras horas da manhã desta sexta-feira, foi conhecido o novo acordo europeu sobre a migração.

O Governo Português recentemente afirmou que "não é admissível" que todos os anos morram "milhares de seres humanos", nas rotas das migrações, "por não haver capacidade da Europa", para fazer uma gestão adequada para acolher "aqueles que carecem de proteção".

A integração destas pessoas na sociedade tornou-se um ponto-chave na agenda política da Europa.

Os novos imigrantes trazem várias experiências e competências, muitas vezes difíceis de comparar com os perfis de competências das descrições de trabalhos nos países da UE. Além disso, só muito poucos estão em condições de apresentar qualificações formais, certificados ou outros documentos semelhantes. A avaliação de competências e experiências de trabalho já adquiridas, bem como o reconhecimento de qualificações obtidas no país de origem, representam um grande desafio.

Divulgamos aqui algumas iniciativas na área da integração destes novos imigrantes nas sociedades que os acolhem.

Avaliando Competências para o Futuro – resultados iniciais do projeto EU “aSsessing Competences fOr fUTure” (SCOUT)

Nos últimos anos, o número de refugiados no mundo tem sido maior do que em qualquer outro período desde a Segunda Guerra Mundial. Desde 2015, os países da União Europeia têm enfrentado um número crescente de requerentes de asilo e migrantes. A integração destas pessoas na sociedade tornou-se um ponto-chave na agenda política da Europa. Acima de tudo, a sua integração no mercado de trabalho é considerada de importância significativa, se não decisiva. Repetidamente, tanto os políticos como os meios de comunicação afirmam: integrar os imigrantes na sociedade e no mercado de trabalho representa um desafio, mas também uma oportunidade para a Alemanha e os outros países da UE.

O principal desafio de avaliar as competências

Os novos imigrantes trazem várias experiências e competências, muitas vezes difíceis de comparar com os perfis de competências das descrições de trabalhos nos países da UE. Além disso, só muito poucos estão em condições de apresentar qualificações formais, certificados ou outros documentos semelhantes. A avaliação de competências e experiências de trabalho já adquiridas, bem como o reconhecimento de qualificações obtidas no país de origem, representam um grande desafio. Por esta razão, a integração bem-sucedida no mercado de trabalho requer a oferta de aconselhamento personalizado a grupos específicos. Este conselho deve ser especificamente adaptado a novos imigrantes e permitir uma avaliação de competências que seja apropriada para o grupo alvo.

“ASessing Competences for FUTURE” – melhorar a avaliação de competências para novos imigrantes

O projeto SCOUT (“aSessing Competences for FUTURE”) que foi financiado pelo programa Erasmus+, destina-se principalmente aos conselheiros dos países parceiros da UE que trabalham com novos imigrantes e dá visibilidade ao potencial e interesse desses imigrantes no desenvolvimento de competências. Assim, o SCOUT visa melhorar o trabalho dos conselheiros e, em particular, o seu papel na avaliação das competências dos imigrantes. Para tal foram criados dois produtos: 

Em primeiro lugar, as ferramentas de avaliação de competências que já estão disponíveis em países parceiros individuais foram categorizadas e reunidas num kit de ferramentas para conselheiros. O objetivo é auxiliar o trabalho dos conselheiros na área de avaliação de competências. Em segundo lugar, como um componente central do kit de ferramentas SCOUT, está a ser criada uma versão do ProfilPASS (ver também Service Unit ProfilPASS)adaptada ao grupo-alvo relevante em linguagem simples. O ProfilPASS é uma ferramenta para a avaliação de competências adquiridas de forma não formal e informal e existe na Alemanha desde 2006 e em toda a Europa desde 2014. Num projeto anterior foi claro que o ProfilPASS tem um grande potencial para tornar visíveis as competências “ocultas” dos novos imigrantes, mas que precisa de alguma adaptação. O pressuposto é que os novos imigrantes, através da análise com o ProfilPASS das suas competências existentes e de conselhos detalhados sobre educação e formação, não só encontram ofertas de educação e formação adequadas, mas também melhoram o acesso ao mercado de trabalho.

Integração e avaliação de competências – qual é a situação atual?

Um dos primeiros passos do projeto SCOUT foi um levantamento fundamental da avaliação de competências nos vários países parceiros, com base em pesquisas, entrevistas com especialistas e grupos de foco. De acordo com os resultados, já existem numerosas iniciativas e atividades governamentais e não-governamentais para implementar medidas de orientação e integração, bem como medidas de orientação e educação ocupacional para novos imigrantes. Existem também várias abordagens relativas à avaliação e reconhecimento de competências. Na Alemanha, o Anerkennungsportal der Bundesregierung [Portal de Reconhecimento do Governo Federal] e o projeto ValiKom [Validação de Competências], entre outros, foram identificados como exemplos de “boas práticas”. Um desafio para todos os países é fornecer aos novos imigrantes informações e apoio facilmente compreensíveis e acessíveis sobre a avaliação e validação de competências já adquiridas. A barreira da língua representa um problema significativo.

O kit de ferramentas SCOUT – ideias iniciais e desafios relativos ao desenvolvimento

Os resultados da pesquisa e das entrevistas ilustram os conteúdos e desafios fundamentais que impulsionarão o desenvolvimento do kit de ferramentas SCOUT. É recomendado o uso de linguagem simples durante a avaliação de competências como forma de lidar com a barreira da língua. A peça central do kit de ferramentas, o ProfilPASS, será adaptada para esse propósito e traduzida em linguagem simples. Conhecer o ProfilPASS, que atualmente consiste principalmente em texto, também será facilitado graças a um layout renovado com elementos gráficos, desenhos e visualizações. Este ProfilPASS modificado será um apoio eficaz para identificar as competências de novos imigrantes. Juntamente com o ProfilPASS modificado, o kit de ferramentas incluirá 20 ferramentas diferentes dos países do projeto, que podem ser usadas em várias fases ao longo do processo de consultoria. Algumas ferramentas estão disponíveis em várias línguas, por exemplo, as Ferramenta de definição de perfis de competências da UE para nacionais de países terceiros da Comissão Europeia. Ao mesmo tempo, é importante focar nas competências linguísticas dos novos imigrantes. A capacidade de falar várias línguas é uma vantagem significativa no mercado de trabalho e deve ser explorada. Além disso, a avaliação de competências e outras atividades relacionadas com o trabalho, tais como medidas de educação e formação superior, aconselhamento profissional, etc., devem, idealmente, ser integradas entre si. O kit de ferramentas de acesso aberto oferece aos consultores um acesso de rápido e direto a ferramentas de avaliação de competências. Aqueles que procuram aconselhamento também podem, até certo ponto, trabalhar de forma independente com algumas das ferramentas e realizar uma análise inicial das suas próprias competências. No entanto, existe o risco de superestimar ou subestimar as próprias capacidades e competências. Obter aconselhamento é, portanto, importante para garantir a autoavaliação mais realista possível. 

Outlook - para onde vai este caminho?

Depois de a situação atual nos vários países parceiros ter sido pesquisada e os elementos do kit de ferramentas para avaliação de competências cuidadosamente selecionados, o trabalho de desenvolvimento específico do ProfilPASS em linguagem simples está a decorrer. As ideias iniciais também estão a tomar forma no que se refere ao modo como o kit de ferramentas SCOUT deve ser disponibilizado e como o tornar fácil de usar. Nos próximos meses, adicionalmente ao kit de ferramentas com as suas várias ferramentas de consultoria, serão também produzidos um currículo e um manual para conselheiros.

Estrutura do projeto

A 1 de outubro de 2017, o projeto de dois anos da UE ““aSsessing Competences fOr fUTure (SCOUT)” começou como parte do programa Erasmus+. O projeto SCOUT é liderado pelo Deutsches Institut für Erwachsenenbildung - Leibniz-Zentrum für Lebenslanges Lernen (DIE) no papel de coordenador, juntamente com organizações parceiras da Grécia, Áustria, Suécia, Eslovénia e Espanha.

Artigo de Goran Jordanoski disponível na página da EPALE: https://ec.europa.eu/epale/en/blog/assessing-competences-future-initial-results-eu-scout-project

Quem é Goran Jordanoski

É investigador associado no Deutsches Institut für Erwachsenenbildung - Leibniz-Zentrum für Lebenslanges Lernen e.V. (DIE) e é responsável pela análise científica e

coordenação do Projeto SCOUT

 

Visite a EPALE regularmente, para descobrir novos conteúdos!

https://ec.europa.eu/epale/pt/ (link is external)  (em português)

 

 

 

Tópicos: Tags: