Educação de adultos: proposta de Inovação Teórica e Prática

A educação de adultos é aquela educação que atormenta decisões teóricas e políticas.
A educação, formação e aprendizagem de adultos necessita, urgentemente, de um conceito robusto, claro e adaptado aos actuais modelos heuréticos. Pedangrogia é o que vos proponho, caso contrário, iremos continuar a seguir a uma desarticulação entre a teoria e as políticas educativas na educação de adultos, como a seguir vos apresento sob a forma de um mapa conceptual. Apresentar uma inovação prática à luz do que foi reflectido, é saber respeitar todo o trabalho histórico-teórico e principalmente as pessoas envolvidas nas organizações internacionais e nacionais, no entanto, é nosso entendimento que a inovação deve partir de dentro para fora, dito por outras palavras, do local para o global. O sistema inovador será composto por um cartão inteligente através da tecnologia de Identificação por Rádio Frequência (RFID).

Autor

A educação de adultos é aquela educação que atormenta decisões teóricas e políticas. Decisões teóricas, porque há um fraco consenso na comunidade científica sobre um modelo conceptual de desenvolvimento, unificador, prospectivo e acima de tudo, emancipatório, tal como nos educa, e bem, Paulo Freire em Finger, M. & Asún, J. (2003). Certas decisões políticas porque, efectivamente, há uma desorganização nas políticas educativas tendo em conta a análise comparativa realizada a nível internacional por Pires, A.L (2007) e os contributos de Barros, R. (2013). Uma desorganização gerada pela falta de teorização, onde planos se confunde com projectos, currículo com programas e cursos, educação de adultos com formação de adultos, educação permanente com educação contínua, educação contínua com educação continuada, aprendizagem de adultos com aprendizagem ao longo da vida e competência, pedagogia com andragogia e pedagogisação.

A educação, formação e aprendizagem de adultos necessita, urgentemente, de um conceito robusto, claro e adaptado aos actuais modelos heuréticos. Pedangrogia é o que vos proponho, caso contrário, iremos continuar a seguir a uma desarticulação entre a teoria e as políticas educativas na educação de adultos, como a seguir vos apresento sob a forma de um mapa conceptual, em primeiro lugar, e um enquadramento geral sobre as políticas nacionais, internacionais e aprendizagem de adultos, em segundo lugar.

As políticas de educação de adultos, em Portugal, nunca foram devidamente valorizadas e o primeiro erro foi nunca ter existido um sistema de educação de adultos. Um sistema capaz de responder aos desafios globais, às intempéries ped+andragógicas sem nunca esquecer o que Portugal tem de melhor, a história e a cultura.

Portugal, em pleno processo democrático, implementou projectos, programas, planos e outros instrumentos idealistas de foro internacional sem a devida preocupação da essência da nossa história e cultura, e pior ainda, foi quase tudo valorizado menos a formação dos educadores de adultos, menos a formação dos educadores de projectos.

Portugal preocupou-se, na primeira república, com o analfabetismo. Portugal, no estado novo, ergueu escolas com profissionais pouco qualificados. Portugal, nos anos cinquenta, implementou, através do Plano de Educação Popular, os cursos de educação de adultos com relação à produtividade e escolarização. Portugal confundiu, para nossa desilusão, nos anos sessenta, a educação de adultos com alfabetização e no mesmo período, até início dos anos setenta, iniciativas ligadas à igreja católica. Portugal, após o início dos anos setenta, preocupou-se com a formação profissional.

A par disto, o segundo erro. A não implementação do Instituto Nacional de Educação de Adultos. Sem este instituto a direcção-geral de educação permanente, estimulada e criada pela segunda conferência internacional sobre educação de adultos, foi substituída pela direcção-geral de educação de adultos e esta para a direcção-geral de apoio e extensão educativa, o conselho nacional de alfabetização e educação básica de adultos passando pela Lei-Quadro da Educação de Adultos até aos recentes Centros de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências, foi tudo, mas mesmo tudo, amputado.

A aprendizagem de adultos deve ser pensada à luz da literacia básica. O saber ler, escrever e contar, são, como nos diz, e bem, Silva, D.S (2008), saberes básicos.

Apresentar uma inovação prática à luz do que foi reflectido, é saber respeitar todo o trabalho histórico-teórico e principalmente as pessoas envolvidas nas organizações internacionais e nacionais, no entanto, é nosso entendimento que a inovação deve partir de dentro para fora, dito por outras palavras, do local para o global. O sistema inovador será composto por um cartão inteligente através da tecnologia de Identificação por Rádio Frequência (RFID). Portugal foi pioneiro neste sistema, através do Cartão de Cidadão (CC) e defendemos que o uso desta tecnologia poderá servir como instrumento verdadeiramente emancipatório, libertador e equitativo na educação e formação de adultos.

 

_____

Nota:

Esta é a versão curta de um artigo que nos foi proposto pelo autor e que está disponível na sua totalidade neste site na secção de RECURSOS - INVESTIGAÇÕES.

 

 

Tópicos: