Divulgação de Projetos - Cursos EFA da EBTorre de Câmara de Lobos

A Escola Básica dos 2.º e 3.º Ciclos da Torre, criada em 1993, situada na freguesia e concelho de Câmara de Lobos, é frequentada por alunos oriundos deste concelho na sua maioria provenientes do Bairro Social da Torre. Esta escola localiza-se numa área geográfica marcada por inúmeras desigualdades sociais e problemas a nível económico. Um considerável número dos seus habitantes tem poucas habilitações escolares, principalmente os agregados familiares dos alunos do ensino diurno.

Esta realidade, levou à implementação dos cursos EFA desde o ano letivo 2009/2010. Ao longo dos últimos anos os cursos EFA realizaram atividades bastante diversificadas e, além dos formandos, foram também envolvidos os seus familiares e várias instituições.

 

Cursos EFA da EBTorre de Câmara de Lobos

Num estudo promovido pelo Projeto Europeu EuPars (PROALV - Grundtvig), concluiu-se que mais de 60% dos pais e 65% das mães dos alunos da Escola Básica dos 2.º e 3.º Ciclos da Torre possuem somente o 4.º ano de escolaridade. Segundo dados recolhidos pelos diretores de turma da nossa escola, verificamos que 44% dos pais e 42% das mãe têm o 1.º ciclo completo e segundo os censos de 2011 concluímos que cerca de 9000 pessoas (36%) do concelho de Câmara de Lobos possuem somente o 1.º ciclo, sendo que a taxa de analfabetismo atinge os 9,8%, superior à taxa média regional, que é de 6,97% (dados retirados da Carta Educativa do Concelho de Câmara de Lobos, 2016).

Assim, apesar de atualmente haver uma melhoria nos números atrás apresentados, achamos que os mesmos ainda são bastante elevados e por isso a nossa escola ao longo dos últimos anos tem apostado no ensino noturno recorrente 2.º Ciclo e 3.º Ciclos, e em outras ofertas formativas nomeadamente o projeto «Nós Pais na Escola», os projetos Europeus EuPars (PROALV - Grundtvig) e NoDigitalGap (ERASMUS+) , a Escola para Pais (coordenada pelo CCE, em conjunto com a coordenação dos Cursos EFA) e alguns Workshops.

Esta realidade, levou-nos a implementar os cursos EFA desde o ano letivo 2009/2010. Esta experiência enriquecedora dos oito últimos anos, culminou com certificação de 351 formandos e com a frequência atualmente de 55 formandos, divididos em sete cursos / turmas.

Ao longo dos últimos anos os cursos EFA da EBTorre de Câmara de Lobos realizaram 61 atividades bastante diversificadas onde além dos formandos foram envolvidos os familiares dos mesmos e várias instituições, principalmente de Câmara de Lobos.

- Visitas de estudo;

-Conferências;

- Concursos;

- Peças de teatro;

- Concertos

- Idas ao circo

De todas as atividades destacaremos algumas que no nosso entender tiveram um grande impacto para os nossos aprendentes e para a comunidade envolvente. No ano transato um dos tópicos que selecionamos para abordar de uma forma transversal em todos os grupos e em todas as Áreas de competências Chave foi a Defesa e Preservação do Património, indo desta forma ao encontro do Ano Europeu do Património Cultural. Assim destacamos:

- Visita de Estudo ao Convento de S. Bernardino e Centro Histórico de Câmara de Lobos

- Várias palestras e conferências, com destaque para a “A música tradicional Madeirense”;

- Cerimónia de Bênção das Capas

- Projeto Memórias d’outrora, com elaboração de espantalhos e construção concursos de Joeiras (papagaios de papel), que já vai na oitava edição.

- Produção de um vídeo sobre a presença do frade franciscano Frei Pedro da Guarda na Madeira;

- Participação em eventos culturais (cinema, concertos teatro, circo, etc…);

- Elaboração de exposições;

- Apresentações Públicas de todo o trabalho realizado ao longo do ano (anexo 6)

- Atividade Leituras EFA, conversas à volta dos livros (esta atividade é realizada trimestralmente, desde 2010).

- Participação em projetos Europeus. Vencedores do prémio de boas práticas pelo projeto RIFIA (ERASMUS + KA1- Adultos)

Aqui ficam dois testemunhos de formandos destes cursos EFA.

Agostinho dos Santos, motorista aposentado

“Com os cursos EFA, fiz o segundo ciclo, o terceiro ciclo e no ano letivo transato conclui o ensino secundário.

Não imaginava que esta experiência fosse tão enriquecedora. Já estava aposentado, mas queria mais conhecimento.

A entreajuda dos colegas de turma e o apoio dos professores deram-me entusiasmo para ir em frente; fiz o terceiro ciclo. Aos 17 anos, o Pedro — meu colega de carteira durante estes anos — foi um apoio fundamental principalmente na minha iniciação à informática.

Embora a idade pese um bocadinho e apesar das minhas dificuldades de aprendizagem, quero levar este projeto até ao fim! Senti falta de não ter estudado quando era mais novo. Fui motorista na Rodoeste e aposentei-me cedo. Sentia falta do ritmo de trabalho e decidi estudar.

A vida é uma aprendizagem. Enquanto estamos neste mundo, podemos dar algo mais àqueles que nos rodeiam, seja na vida do país seja onde quer que estejamos, podemos ser mais válidos. Tenho uma horta e faço apoio social ao fim de semana; em ligação com a Igreja, visito doentes e trabalho com grupos de adolescentes, há cerca de trinta anos. Melhorei a minha capacidade de serviço. Sentia essa falta, pois lidava com rapazes e raparigas que tinham mais estudos do que eu. Já sinto saudades dos cursos EFA principalmente do convívio e da participação nas inúmeras atividades que realizávamos.”

Ana Isabel Sousa, auxiliar educativa

“Voltei para a escola porque melhorar a escolaridade era um sonho meu. Fiz o terceiro ciclo nos cursos EFA e depois fiz um ano de Informática. Conclui o curso de nível secundário e a experiência foi extraordinária. As áreas que mais me cativam são, a Cidadania e a Linguagem e Comunicação. O que mais gosto são os valores associados à civilização: os seres humanos, a ética e o respeito.

Tive colegas de várias idades: os mais novos foram a Luísa e o Pedro, que têm 19 anos; o mais velho, o Agostinho, tem 64 anos.

Acabei o 9.º ano ao mesmo tempo que o meu filho, aqui na escola. Este ano fizemos a bênção das capas juntos, foi uma festa… dupla. A nível pessoal e profissional foi excelente. Evoluí, fiquei com outras ideias e outra forma de pensar. Ganhei um pensamento mais global e aberto. Neste momento, o meu objetivo é continuar. Vou com calma, mas gostava de estudar psicologia.”

Ver Mais informação em: https://www.facebook.com/efatorre/

Tópicos: Tags: