Notícias

| 27 Abril 2018

Os programas de orientação para adultos com baixa escolaridade devem basear as suas expectativas e abordagens nas necessidades e capacidades de resposta do destinatário.

O Projeto GOAL – Guia e Orientação para Alunos Adultos foi um projeto internacional cujo objetivo era desenvolver um guia e orientações para alcançar adultos com baixa escolaridade e atender às suas necessidades.

O envolvimento político apropriado, a orientação do tipo testado no GOAL, parece ter produzido resultados significativos e pode desempenhar um papel importante para atingir os objetivos nacionais de educação.

Publicamos, em português, o artigo colocado por David Mallows no blog da EPALE sobre JD Carpentieri do Instituto de Educação da UCL (University College London), entidade que avaliou o projeto em parceria com equipas locais de avaliação dos seis países envolvidos.

| 13 Abril 2018

A literacia é mais importante do que nunca, neste mundo de textos e e-mails, um mundo de informação escrita. Precisamos de ler e escrever, de cidadãos globais que leiam facilmente, compreendam o que estão a ler, percebam as subtilezas e sejam capazes de se fazer entender.

Precisamos de cidadãos letrados. Não me interessa — não acredito que seja importante — se os livros são em papel ou digitais, se está a ler um pergaminho ou a deslizar pelo ecrã. O que importa é o conteúdo.

Neil Gaiman, um autor britânico de contos, romances, banda desenhada, proferiu uma palestra para a Reading Agency, em 2013, (ver texto ‘Incentivo à Leitura’ publicado no nosso site).

Este artigo completo encontra-se no seu livro ‘O Que se Vê da Última Fila’ recentemente publicado em português (Edições Elsinore). Divulgamos aqui alguns excertos desse artigo.

| 12 Abril 2018

Em Inglaterra foi criada, em 2002, a instituição de beneficência ‘The Reading Agency’ (Agência para a Leitura) que nasceu da união de três pequenas organizações que trabalhavam com os bibliotecários na exploração de novas soluções para questões sociais causadas por problemas de literacia.

Eles sentiram que havia potencial para as bibliotecas públicas desempenharem um papel maior a ajudar as pessoas a tornarem-se leitores confiantes.

Dos vários programas da ‘The Reading Agency’, destacamos ‘Para a frente Leitura’, e ‘Desafio da Leitura de Verão’.

Pode ler também o artigo ‘Mike e Carlton adquirem o hábito da leitura’, que relata o impacto que teve quando um Pai começou a fazer leitura simultânea com o seu filho.

| 05 Abril 2018

Em abril, a EPALE - Plataforma Eletrónica para a Educação de Adultos na Europa, que este mês celebra o seu terceiro aniversário, irá concentrar-se na divulgação e orientação da Aprendizagem ao Longo da Vida. O objetivo da EPALE é recolher e apresentar exemplos de boas práticas de políticas de divulgação, e de projetos e iniciativas para ampliar a participação na educação de adultos.

Para recolher artigos interessantes, recursos úteis e estudos de caso inspiradores sobre divulgação e orientação de Aprendizagem ao Longo da Vida criou recentemente uma página temática sobre este tópico.

Divulgamos também, aqui na Aprender, um artigo sobre três projetos que exploram formas de envolver idosos desfavorecidos nos Museus Nacionais da Irlanda do Norte.

| 30 Março 2018

A nossa tarefa como educadores informais é trabalhar ao lado das pessoas para que aprendam e organizem as coisas por si próprias. Para isso é central uma preocupação de que todos, nas palavras de John Dewey, possam partilhar uma vida comum.

As pessoas precisam de aprender várias competências relacionadas com o trabalho e a vida de casa e a desenvolverem-se intelectualmente. Mas mais importante do que isso é aprender a envolverem-se uns com os outros de maneira a demonstrar respeito mútuo, uma preocupação com as necessidades dos outros e uma crença na comunidade.

Divulgamos aqui, em português, algumas das reflexões do artigo “Association, la vie associative and lifelong learning” de Mark K Smith, que se encontra disponível no site infed.

| 23 Março 2018

A iliteracia diz respeito aos adultos que foram escolarizados mas que não têm as competências básicas necessárias para ler, escrever e calcular para serem autónomos em situações simples de sua vida diária.

Em 2005, uma primeira pesquisa em França revelou a extensão desse fenómeno: 3 100 000 pessoas entre os 18 e os 65 anos enfrentam a iliteracia.

Em 2013 foi criada a ANLCI - L'Agence nationale de lutte contre l'illettrism, que é um grupo de interesse público que reúne os decisores e os parceiros da sociedade civil envolvidos na prevenção e luta contra a iliteracia.

Hervé Fernandez concebe e implementa, há vários anos e desenvolvendo todos os anos mais parcerias, os programas da ANLCI dos quais é diretor.

Transcrevemos aqui parte de uma entrevista que deu à revista on-line Metis.

| 15 Março 2018

2018 é o ano do Património Cultural Europeu. No entanto, os primeiros resultados de investigação também destacam questões de poder e de privilégio. A questão é: ‘qual’ é a identidade europeia apresentada ao longo do ‘Ano Europeu do Património Cultural’?

Qualquer forma de herança cultural é sempre resultado de um processo de negociação (social) em que muitos fatores devem ser considerados como, por exemplo, a economia. O ano temático oferece a muitas instituições na educação de adultos a oportunidade de apresentar formas de património cultural europeu.

Estas são algumas das ideias discutidas pelo investigador alemão Florian Grawan, no artigo ‘Partilhar o Património Cultural - mas moldado a que identidade?’ publicado na revista Elm (European Lifelong Learning Magazine).

Continuamos assim a divulgar textos que nos parecem importantes para debater sobre como é que a Educação de Adultos pode abordar o Património Cultural no âmbito do Ano Europeu do Património Cultural.

| 08 Março 2018

Existe um desafio comum que os países europeus enfrentam – tornar a educação de adultos acessível a grupos vulneráveis e desfavorecidos. Estudos mostram que as pessoas com mais oportunidades e maior nível de educação têm uma maior probabilidade de participar na educação de adultos, o que contribui para o aumento da desigualdade neste setor.

Como é que aqueles que precisam aprender são encorajados a aprender? Quais as estruturas de apoio para os aprendentes desfavorecidos?

Em que medida a formação é adaptada às necessidades daqueles que mais precisam dela?

Estas são algumas das questões de um texto do Coordenador Temático da EPALE, Simon Broek, que divulgamos no nosso site.

A equidade e inclusão em educação de adultos é o tema da EPALE para o mês de março.

| 01 Março 2018

O que se alterou em dez anos em termos da participação da população adulta em educação e formação e que grupos populacionais mais contribuíram para as mudanças identificadas? Que impactos têm a educação e formação na vida das pessoas, designadamente no seu rendimento? Quais os efeitos da escolaridade dos pais na trajetória de educação dos filhos? Estas são algumas das questões que orientam a análise dos resultados do Inquérito à Educação e Formação de Adultos (IEFA) de um inquérito comunitário realizado pelo Instituto Nacional de Estatística.

| 22 Fevereiro 2018

O ambiente de ensino superior está a mudar, e as mudanças não são conduzidas apenas por mudanças demográficas. As mudanças no mercado de trabalho e a evolução das expectativas - e capacidade - de aprendizagem contínua estão a combinar-se para criar um ambiente onde a aprendizagem ao longo da vida se está a tornar uma expectativa e não uma exceção.

Divulgamos parte de uma entrevista a Bernard Bull da Universidade Concordia em Wisconsin (EUA) publicada na revista online EvoLLLution, na qual Bull partilha os seus pensamentos sobre os fatores que estão a criar essa cultura de aprendizagem ao longo da vida e reflete sobre como os institutos e universidades precisam de se adaptar para se ajustarem a essa mudança.